quinta-feira, 30 de abril de 2009

10 Mandamentos do Motorista Defensivo

.
1. Conhecer as leis do trânsito e obedecer à sinalização.

2. Usar sempre o cinto de segurança.

3. Conhecer o veículo que está dirigindo e saber comandá-lo.

4. Manter o veículo sempre em boas condições de funcionamento.

5. Prever a possibilidade de acidentes e ser capaz de evitá-los.

6. Ser capaz de decidir com rapidez e correção em situações de perigo.

7. Não aceitar desafios e provocações.

8. Não dirigir cansado ou sob efeito de álcool e drogas.

9. Ver e ser visto.

10. Não abusar da autoconfiança.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Treze mandamentos da felicidade


01- Seja um pouco feliz todo o dia, em todos os momentos. É ilusão achar que você vai ser feliz no futuro (depois de casar, aposentaria, etc). É desperdício trabalhar o mês inteiro para ser feliz só no dia de receber o cheque.


02- Aceite os outros do jeito que eles são (as pessoas são únicas). Aceitá-los pode significar separação (administre isso).


03- Pare de se irritar por bobagem (deixe de se castigar pela raiva).


04- Cuide do seu corpo. Pare de ingerir comida ruim, bebidas em excesso, de dormir mal.


05- Relaxe, não exija muito do corpo.


06- Alimente bem sua alma. Descarte leitura de seção de crimes no jornal, filmes violentos, baixo-astral na tv.


07- Viva o presente. Valorize os momentos dos filhos, familiares, amigos, o amor. Esqueça o passado, a culpa, os ressentimentos. Coma os morangos.


08- Tenha prazer em trabalhar. Seja alto-astral, generoso, crie um lugar personalizado (campo de concentração).


09- Vá atrás dos seus sonhos. Acomodação mata em vida.


10- Engaje-se em um programa social. Você vai sentir mais orgulho de estar vivo.


11- Espiritualização, fé, meditação e mais oração. Crie tempo para recarregar as baterias.


12- Goste de evoluir. O aprendizado se dá pela dor ou pelo prazer. Escolha.


13- Seja generoso com você. Ninguém é perfeito. Amanhã vai ser melhor se você parar de se torturar.


(ROBERTO SHINYASHIKI)





terça-feira, 28 de abril de 2009

Dia do Trabalho - Memorial Serra da Mesa


Grande evento dias 2 e 3 de maio


Comemorando o Dia do Trabalho, haverá no Memorial Serra da Mesa grande evento mostrando o modo de trabalhar no periodo colonial.
Faremos farinha de mandioca, beiju, melado, rapadura e ainda oficinas de barro, palha, pintura e outras.
O ingresso será R$ 2,00 com isenção para crianças de até 10 anos e pessoas com 60 anos acima.
A Prefeitura disponibilizará ônibus o dia todo saindo do Passaro Grande, Posto Cegão, Museu Dom Prada e Esquinão ou CELG

Compareçam!

Sinvaline Pinheiro
Coordenadora do Memorial

segunda-feira, 27 de abril de 2009

II Bienal do Livro de Goiás

De 29 de abril a 3 de maio, aconceterá a 2ª Bienal do Livro de Goiás, uma iniciativa do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Educação, em parceria com a Agência Goiana de Cultura Pedro Ludovico Teixeira, Agência Goiana de Comunicação e Agência Estadual de Turismo. Trata-se de uma ação de responsabilidade social, no fomento à leitura e ao acesso ao livro e à literatura, ao conhecimento e à cultura. Tem como objetivo o diálogo do livro e da produção literária com a atualidade. Será no Centro de Convenções de Goiânia (Rua 4 Q. 73 n° 1.400 - Setor Central - Goiânia-GO).

O evento inclui a participação de 800 dinamizadores de bibliotecas em cursos específicos, 40 lançamentos de livros de escritores locais, 204 oficinas diversas, 19 cursos, 34 apresentações artísticas e culturais e 27 palestras.

As conferências, oficinas, palestras e demais atividades foram programadas de forma a permitir a interface do livro com as mais diferentes ferramentas, linguagens e espaços disponíveis ao homem no mundo contemporâneo. O livro como base para o aprendizado escolar, para o teatro, o cinema, o mundo virtual, a música, o circo, a oralidade. Como base para a vida.

Esta Bienal, que homenageia o escritor Bariani Ortencio, reúne experiências e encontros que irão, certamente, contribuir para que, num futuro bem próximo, consolidemos o Estado de Goiás como um Estado de muitos leitores.

Passando a Régua - Ed. n. 784

* Coluna publicada na edição nº 784 do Jornal Diário do Norte


"Pode ser um pecado pensar mal dos outros. Mas raramente será um engano".
H. L. Mencken
Pesquisa
Um em cada cinco funcionários públicos (22,5%) admite que já descumpriu a lei. Uma proporção semelhante (18,1%) confessa que já cobrou propina para atender a uma reivindicação legítima do cidadão. Apenas 51,3% se consideram éticos e 11,9% vêem a profissão que exercem 'com desprezo'. Os resultados fazem parte de pesquisa feita pela Universidade de Brasília (UnB), a pedido da Comissão de Ética Pública, da Presidência da República, sobre a conduta da sociedade civil em geral e do servidor em particular. Para o coordenador da pesquisa, Ricardo Caldas, da Faculdade de Ciência Política da UnB, a conclusão é desanimadora: os servidores, embora em menor grau, refletem o comportamento da sociedade, em boa parte tolerante com a corrupção, adepta do 'jeitinho brasileiro' e pouco preocupada com ética e rigor nos gastos públicos. O levantamento sobre padrão ético mostra a má imagem que o servidor faz da categoria. Mais de um quarto dos entrevistados (26,7%) diz que a categoria não está voltada para o interesse público e 55,7% consideram os funcionários 'amadores' ou 'semiprofissionais'. (Fonte: www.estadao.com.br)
Justiça
É muito preocupante quando um ministro do Supremo Tribunal Federal (Joaquim Barbosa), durante julgamento daquela 'casa', acusa o seu presidente (Gilmar Mendes) de ter capangas, durante um bate-boca no último dia 22 de abril. A mais alta corte do País em descrédito! O povo precisa começar a rezar, urgentemente!
Homenagem
25 de abril - Dia do Contabilista - Aos profissionais da área, contadores e técnicos em contabilidade, são atribuídos alguns verbos associados diretamente à prática da profissão contábil: registrar, quantificar, projetar, analisar, avaliar, orientar, produzir...
CNBB
Mais de 300 bispos de todo o Brasil estiveram reunidos em Indaituba-SP, de 21 a 26 de abril, na 47ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O tema central deste ano foi a formação de novos padres. Dentre os presentes, Dom Messias dos Reis Silveira, da Diocese de Uruaçu.
Sede nova
A Prefeitura Municipal de Uruaçu inaugurou a nova sede do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), no dia 20 de abril, às 8h30. Av. Pedro Ludovico, antiga Lavanderia Pública. Um trabalho em parceria com o Lions Clube de Uruaçu.
Site municipal
O Site da Prefeitura Municipal de Uruaçu (www.uruacu.go.gov.br) atualizado para a administração do prefeito Lourencinho, eleito pelo PP para administrar o município no mandato 2009-2012, já está on-line. Contatos virtual com o prefeito: prefeitolourencinho@gmail.com.
_______________________________________________

Carlos Henrique Alves do Rêgo – Carzem, é sócio do Lions Clube de Uruaçu; Bel. em Ciências Contábeis pela UEG/Uruaçu; e, funcionário do Banco do Brasil, agência de Uruaçu

domingo, 26 de abril de 2009

1/3 de tudo que você compra vai direto para o lixo


Esse é o slogan da nova campanha do Instituto Akatu, criada e produzida pela agência Leo Burnett, parceira institucional do Akatu, com estreia em cadeia nacional em 27 de janeiro de 2009 na Globosat. Através de uma linguagem semelhante à da publicidade do varejo, a campanha alerta consumidor para a problemática do desperdício de alimentos e dá dicas de como consumir os alimentos de forma consciente para evitar desperdícios.

A iniciativa surgiu da constatação de que, no Brasil, aproximadamente um terço de todos os alimentos comprados em uma casa é desperdiçado. Junto com eles, todas as suas embalagens, toda a água e energia usadas na sua produção, todo o CO2 emitido em sua produção e transporte, etc; são também jogados fora, gerando inúmeros impactos negativos para a sociedade, a economia e o meio ambiente. O número é ainda mais alarmante quando pensamos que estamos em um país onde 14 milhões de pessoas vivem em domicílios com insegurança alimentar grave (fonte: IBGE, 2004). A campanha alerta os brasileiros sobre este fato e mostra que é possível mudar este quadro por meio de pequenos gestos diários que estão sendo divulgados pela mídia com base em sugestões do Akatu.

As peças da campanha mostram, com mensagens criativas e instigantes, que todo consumo tem impacto – seja ele positivo ou negativo – e que cada gesto de consumo tem poder transformador. O consumidor, comprometido e ciente dos efeitos de seus atos de consumo, pode ter um papel protagonista nessa transformação.

A nova campanha pretende motivar o cidadão a responder, de forma positiva, ao desafio de evitar o desperdício de alimentos, contribuindo assim para a desafio global atual da construção da sustentabilidade da vida no planeta.




Veículos de comunicação que estejam interessados em veicular a campanha podem entrar em contato com Rogério Ferro, pelo e-mai rogerio.ferro@akatu.org.br.


sábado, 25 de abril de 2009

Pare e reflita

Sobre impostos...

Dia do Contabilista

25 de abril - Dia do Contabilista
.
"Trabalhemos, pois, bem unidos, tão convencidos de nosso triunfo, que desde já consideramos 25 de abril o Dia do Contabilista Brasileiro".
.
Com esta frase, dita no meio de um discurso de agradecimento a uma homenagem que recebia da Classe Contábil, o Senador e Patrono dos Contabilistas, João Lyra, instituiu o Dia do Contabilista, prontamente adotado pela classe contábil e, atualmente, oficializado em grande número de municípios. Era o ano de 1926.

Em dezembro do ano anterior, João Lyra havia sido eleito Presidente do Conselho Perpétuo dos Contabilistas Brasileiros e, em toda a sua vida parlamentar, propôs e fez aprovar várias leis em benefício da profissão contábil.

Em seu discurso de agradecimento, Lyra homenageou outro grande contabilista, Carlos de Carvalho: "Quando, em 1916, justifiquei, no Senado Federal, a conveniência de se regularizar o exercício de nossa profissão, acentuada a merecida e geral confiança que adviria do abono da classe, por seus mais circunspectos representantes, à capacidade moral e técnica dos contadores, foi o grande e saudoso mestre paulista uma autoridade sem equivalente no Brasil, como bem disse o sr. Amadeu Amaral, quem me endereçou os primeiros e os mais desvanecedores protestos de apoio e de solidariedade".

O Dia do Contabilista foi oficialmente instituído pela Lei Estadual nº 1989, em 23 de maio de 1979.

*************

O profissional de Contabilidade é responsável por desenvolver a arquitetura de sistemas de informações aos usuários internos e externos de uma empresa, realizar trabalhos de perícias, auditorias internas e externas, controladoria, planejamento tributário e consultoria. Ao estudar e gerenciar o patrimônio, as transações comerciais, os fluxos de caixa, o contador interpreta os fatos econômicos dentro de uma Empresa e, assim, pode controlar melhor suas contas.

Por Lei, toda empresa é obrigada a contratar os serviços deste profissional. Seja um Banco ou uma Propriedade Rural, Microempresa ou Indústria, Cooperativa ou Casa de Comércio, Hospital ou Empresa Aérea.

Áreas de atuação - O contador pode atuar como planejador tributário, analista financeiro, contador geral, auditor interno, contador de custo, contador gerencial, atuário, auditor independente, empresário contábil, perito contábil, investigador de fraude, professor, pesquisador, escritor, parecerista, conferencista, contador público, agente fiscal de renda e oficial contador.

Fonte: Site Via 6


Meus parabéns a todos os Contadores, Contabilistas e Bachareis em Ciências Contábeis!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Jornalista

Jornalista não fala - informa;
Jornalista não vai à festas - faz cobertura;
Jornalista não acha - tem opinião;
Jornalista não fofoca - transmite informações inúteis;
Jornalista não pára - pausa;
Jornalista não mente - equivoca-se;
Jornalista não chora - se emociona;
Jornalista não some - trabalha em off;
Jornalista não lê - busca informação;
Jornalista não traz novidade - dá furo de reportagem;
Jornalista não tem problema - tem situação;
Jornalista não tem muitos amigos - tem muitos contatos;
Jornalista não briga - debate;
Jornalista não usa carro - mas sim veículo;
Jornalista não passeia - viaja a trabalho;
Jornalista não conversa - entrevista;
Jornalista não faz lanche - almoça em horário incomum;
Jornalista não é chato - é crítico;
Jornalista não tem olheiras - tem marcas de guerra;
Jornalista não se confunde - perde a pauta;
Jornalista não esquece de assinar - é anônimo;
Jornalista não se acha - ele já é reconhecido;
Jornalista não influencia - forma opinião;
Jornalista não conta história - reconstrói;
Jornalista não omite fatos - edita-os;
Jornalista não pensa em trabalho - vive o trabalho;
Jornalista não é esquecido- é eternizado pela crítica;
Jornalista não morre - coloca um ponto final.

Emanuelle Querino

Fonte: Blog Recanto das Letras

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Escritório doméstico


Home office: 10 dicas para melhorar seu escritório doméstico
O home office é uma alternativa cada vez mais comum entre profissionais. A nova organização da economia está indo cada vez mais nesta direção, e é cada vez mais freqüente encontrar exemplos de pessoas bem-sucedidas nas suas atividades profissionais executadas parcial ou totalmente a partir de um escritório doméstico.

Se você já tem o seu home office, que tal melhorá-lo? Um pouco de revisão e planejamento pode tornar o seu ambiente profissional doméstico muito mais efetivo, sem perder as vantagens de trabalhar dentro de casa.

Veja abaixo 10 dicas para compor o escritório ideal na sua casa ou apartamento, e acrescente suas próprias dicas nos comentários!

1.Pare para pensar no seu ambiente: é iluminado? Arejado? A temperatura é aceitável? Como está o isolamento acústico? Um painel colorido, uma cortina, uma janela aberta, uma luminária, um espelho grande na parede, um quadro, um relógio na parede, um circulador ou um quadro de avisos (mesmo que seja para você mesmo) podem lhe fazer avançar vários pontos no conforto ambiental.

2.Alimente-se melhor: já que você trabalha em casa, aproveite: estruture seu horário de forma a poder ter um bom café da manhã, e um almoço caseiro várias vezes por semana. Estruture-se, organize-se, aprenda a comprar os ingredientes certos e a congelar pratos, se necessário. Sua saúde agradece, a qualidade de vida comemora, e até o bolso pode ficar feliz! Nos dias de pressa, saiba acelerar a comida!

3.Redistribua os móveis e objetos: Eu já disse antes, mas vou repetir a dica: pense no modelo adotado por um piloto de avião comercial: os instrumentos mais importantes para seu trabalho estão localizados exatamente à frente da sua posição usual de trabalho, e os demais ficam dispostos radialmente a partir deste núcleo, de modo que ele se desloca o mínimo possível para realizar seu trabalho. Não esconda dentro de armários distantes as ferramentas que você usa no dia-a-dia, nem desperdice o espaço das áreas mais nobres à frente da sua posição de trabalho.

4.Fuja do aperto: ao redistribuir os móveis, preste atenção: há mobília no seu espaço de trabalho que você não usa para trabalhar? Que tal tentar movê-la para outro local, dando mais espaço para a sua atividade profissional? Verifique também se sua mesa, cadeira, estante, arquivo ou monitor não são menores do que deveriam ser para permitir o trabalho com conforto e organização – e planeje sua substituição, se necessário.

5.Acorde mais cedo: acordar cedo vale a pena, e fica mais fácil se você desenvolver o hábito de dormir bem. Um pequeno truque pode ajudar!

6.Atitude ecológica: vá tão longe quanto for possível e prático. No mínimo, reuse os clips e folhas de papel, apague as luzes ao sair, e desligue os equipamentos quando não estiverem em uso!

7.Arquive direito os documentos: Para ter um escritório pessoal em que as coisas não somem, no mínimo, você precisa de gavetas e de uma boa estrutura de arquivamento organizado de documentos e papéis em geral. Se quiser fazer apenas o essencial, um arquivo de pastas suspensas econômico, com estrutura em plástico ou aramado, custa menos de R$ 50 nas papelarias, e continua sendo útil por anos e anos a fio. Uma boa estrutura inicial é considerar uma pasta para cada um dos projetos em que você estiver envolvido, e mais algumas pastas extras para arquivamento das suas categorias de materiais de referência.

8.Organize os cabos: eu já compartilhei a minha receita para manter os cabos sempre no lugar, acessíveis e fora do meu campo visual, mas você pode fazer algo similar gastando ainda menos, com alguns fixadores feitos de nylon ou velcro que você encontra em lojas de utilidades domésticas.

9.Atenção às telecomunicações: Comunicar-se com clientes, parceiros e fornecedores exige um telefone, e eventualmente um fax. Considere avançar na digitalização, usando bem recursos como VoIP (incluindo Skype e similares, mas também serviços mais complexos), e-mail e web. Mas se você trabalha sozinho, ter uma secretária eletrônica (virtual ou não) e um aparelho telefônico que permita circular livremente e manter as duas mãos disponíveis é essencial. Eu recomendo um telefone sem fio com secretária eletrônica digital, identificador de chamadas e entrada para fone de ouvido/microfone – é suficientemente barato, você não perderá mais nenhum recado ou oportunidade de retornar a ligação, e poderá andar pela casa falando, com ambas as mãos livres, quando necessário. Este modelo da Panasonic tem até ramal interno sem fio, para transferir ligações entre cômodos da casa, mas existem modelos bem mais econômicos. O meu é um Panasonic KX-TG2935-LB.

10.Considere a ergonomia: evite a tendinite e os problemas de visão! Coloque a mesa e a cadeira na altura e posição certa, evite sombras e brilhos excessivos, posicione bem o monitor, o teclado e o mouse, e faça pausas regulares, no mínimo.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Raiva no trabalho

O Incrível Hulk, verde de raiva
Imagem ilustrativa
.
.
Raiva no trabalho afeta 12% das pessoas
Uma recente pesquisa, realizada pela Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, indica que a raiva no trabalho não é mais um mito e sim uma doença cada vez mais comum. No estudo, 12% dos trabalhadores afastaram-se do trabalho devido ao mal. Estresse, angústia e sofrimento constante são alguns dos sintomas apresentados pelas pessoas.

Para o estudioso do comportamento humano e palestrante Carlos Hilsdorf, a raiva no trabalho seria comparada ao agonismo observado no mundo animal. Tal conduta seria caracterizada por: agressão, defesa e evitação. “Estamos diante de uma patologia corporativa na qual predomina o contato verbal, meramente ritual. É comum encontramos pessoas que, em um nítido automatismo comportamental, radicalizam questões não em busca de soluções, mas da satisfação de seu ego”, explica Hilsdorf.

Segundo ele, a raiva no trabalho tem suas origens tanto no próprio ambiente da empresa quanto fora dele, uma vez que são freqüentes os mecanismos de projeção das emoções. Ou seja, leva-se problemas de casa para o trabalho e vice-versa. "A agressão não precisa ser explícita ou escancarada, ela pode ocorrer de forma verbal ou não-verbal", diz. "Desconsiderar pontos de vista, não ouvir atentamente as pessoas, subestimar sua inteligência e contribuições, interromper prematuramente suas exposições, manter uma postura física ou expressão facial de superioridade são algumas entre tantas formas de agressão”.

Um dos gatilhos mais comuns para o desenvolvimento do sentimento de raiva é a auto-defesa. “As pessoas, sob pressão, sentem-se continuamente ameaçadas e não suficientemente adequadas. O ambiente competitivo e tenso faz com que o número de vezes em que as pessoas são expostas a elogios seja muitas vezes menor que o número de vezes que recebem atitudes frias, indiferentes ou, simplesmente, de cobrança e não valorização", diz.

"Isto as torna defensivas e sempre mais preocupadas com as justificativas que terão que apresentar do que, verdadeiramente, com os objetivos que têm por alcançar. Nestas circunstâncias tem início a evitação a determinadas pessoas, tarefas, assuntos”.

Na sua opinião, os chefes têm culpa no cartório, sim. “As lideranças estão falhando em uma de suas premissas básicas que consiste, dentro da sociedade do conhecimento, em tornar o trabalho uma fonte de prazer e de realização profissional e pessoal e, por meio desta postura, adaptar as práticas organizacionais às constantes mudanças de cenário", diz. "Cabe às lideranças o papel estratégico de estabelecer o clima e a atmosfera necessários para que ocorram as mudanças organizacionais”.

Por fim Hilsdorf diz que buscar uma solução para o problema é positiva para todas as partes envolvidas, tanto trabalhadores como a própria empresa. "Cuidar dos aspectos psicológicos e comportamentais envolvidos nos relacionamentos profissionais equivale a investir na obtenção de melhores resultados nos negócios”.
.
Encontre essa reportagem em:
Blog Carreiras & Gestão
.
.
Você tem "raiva no trabalho"?*
.
“Eu acordava de manhã e não queria ir trabalhar”, conta Caroline Bessa, advogada. Pode ter sido uma resposta grosseira ou uma briga mal resolvida – só de passar por aquele colega desagradável, o dia fica chato.
.
“É péssimo ter que encarar aquela pessoa de novo”, afirma Juliana Ribeiro, promotora. “Eu às vezes chego a sonhar com eles”, diz Rogério Caldovino, motorista. “Tem vários computadores, mas ele senta logo no seu computador para começar a mexer”, revela Rodrigo Pereira, técnico em informática. “Deixei uns trabalhos meus internos para ela fazer e ela foi me entregar para a chefe”, conta uma mulher.
.
“Ela pegava o documento, mostrava para o meu chefe e falava: ‘Olha, que incompetente’”, conta Caroline Bessa.
.
“A vontade era de esganar ele na hora ali e de socar”, admite o técnico em informática. O pior é que o alvo do desafeto provavelmente já percebeu isso. Uma pesquisa feita pela Universidade de Melbourne, na Austrália, mostrou que a expressão identificada mais rapidamente pelo ser humano é a da raiva. “É uma emoção que vem de um instinto de preservação, que é um instinto muito antigo, um instinto animal que visa a preparar o individuo, inclusive, para lutar”, explica o psiquiatra Márcio Versiani, diretor do Instituto de Psiquiatria da UFRJ.
.
D
o tempo das cavernas para as baias em escritórios fechados – os ataques de raiva contaminam o ambiente e agora assustam especialistas.
.
“A raiva no trabalho é uma doença. Segundo uma pesquisa recente feita nos Estados Unidos, na Universidade da Carolina do Norte, ela é responsável por 12% de trabalhadores que se afastam definitivamente do trabalho. Quarenta e cinco por cento deles pensam em se afastar por causa da raiva no trabalho”, aponta o professor de neurologia comportamental da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Sergio Schmidt.
.
“Ou saí ela ou saía eu. Deu na minha saída mesmo”, lembra Ronaldo de Vasconcellos, advogado.
Na maioria das vezes, a decisão radical só vem depois de muito sofrimento. “Comigo foi quase dois meses”, conta uma jovem.
.
“Um ano e meio mais ou menos”, acrescenta Ronaldo.
.
“Três anos direto e eu suportando aquilo ali”, João Batista, funcionário público. Será que você já é uma vítima da raiva no trabalho? “Ela tem vários sinais de alerta: alteração de pressão arterial, distúrbio do sono, depressão e distúrbios imunológicos”, enumera Sérgio Schmidt. Isso tudo acontece porque, quando sentimos raiva, o cérebro entra em estado de alerta, e então ativa as glândulas supra-renais, localizadas sobre os rins. Essas glândulas liberam um hormônio chamado cortisol. “Cortisol é chamado de hormônio da hostilidade”, explica a biopsicóloga Susan Andrews.
.
“No momento de raiva, a quantidade de cortisol aumenta muito. Pode até duplicar ou triplicar o seu valor inicial. Em excesso, ele pode causar grandes prejuízos como psicoses, crises de hipertensão, ulcerações gástricas, alterações no metabolismo de açúcar e também perda de massa óssea”, alerta a professora de endocrinologia da Uerj.
.
“Cada célula tem um milhão de receptores como discos satélites para captar essas moléculas de emoção. Quando estamos com raiva, nossa pele está com raiva, nosso fígado está com raiva, nossos rins estão com raiva”, acrescenta a biopsicóloga.
.
“Tive vontade de dar um soco na mesa. Corri para o banheiro e chorei muito”, contra o administrador de empresas João Duclos.
.
“Teve uma vez que eu achei que ia ter uma paralisia facial, porque meu rosto começou a tremer”, relembra um jovem.
.
“Eu tive até que tomar remédio para gastrite“, diz Caroline.
.
"Espero nunca mais passar por isso. É horrível, é horrível”, deseja Ronaldo. Atenção para as dicas: “Toda vez que houver uma pequena picuinha, uma pequena discussão, a gente se pergunta se aquela pessoa está com excesso de trabalho”, recomenda Sergio Schmidt. Ao ser provocado, não responda no mesmo tom, nem devolva a expressão de raiva. Isso só aumenta a tensão.
.
“Respire lentamente com o objetivo de diminuir a resposta fisiológica que você está apresentando”, ensina Sérgio. “Contar até dez, respirar fundo e dizer: ‘Eu posso estar no lugar dele’”, indica um outro jovem. Oferecer ajuda é importante. E um pouco de autocrítica também não vai fazer mal. “Perguntar se, no passado, eu fiz alguma coisa que prejudicou aquela pessoa”, aponta Sergio Schmidt. Desabafe, mas fora do trabalho. E não fique remoendo o que aconteceu.
.
"Cada vez que nós mobilizamos de novo a raiva na lembrança, estamos secretando cortisol em excesso”, aponta a biopsicóloga. “Não tem como você ficar carregando essas mágoas do trabalho. Se não for aqui, vai ser em outro lugar a mesma coisa”, indica uma mulher. Chame o colega para uma conversa franca e amigável. Lidiane fez isso com a supervisora de franquias Rita de Cássia Corrêa.
.
“Agora eu vou mais centrada, vou conversar com ela!”, conta Lidiane. “Fui madrinha do casamento dela e tudo”, fala Rita.
.
“O dia que a gente sentou e esclareceu tudo, aquilo foi um alívio”, relembra Caroline. Para os especialistas, o melhor é estar sempre preparado para evitar o conflito. A biopsicóloga Susan Andrews sugere, além de exercícios de relaxamento, uma automassagem logo ao acordar.
.
“Respiração lenta. Segurando a respiração por oito segundos, desestimula o sistema nervoso simpático e estimula sistema nervoso para-simpático, baixa os hormônios do estresse e baixa o cortisol. A pessoa entra no estado de tranqüilidade e de paz”, afirma a biopsicóloga Susan Andrews. Esta aí um bom jeito de começar a semana!
.
* Matéria fantástica do Fantástico do dia 16 de julho de 2006!
.
Encontre essa reportagem em: Site Fantástico
.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

ABORTO

Recebi por e-mail...



HISTÓRIA INTERESSANTE...


- 'Doutor, o senhor terá de me ajudar num problema muito sério. Este meu bebê ainda não completou um ano e estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo, mas num espaço grande entre um e outro'.

E então o médico perguntou:

- 'Muito bem. E o que a senhora quer que eu faça?'

A mulher, já esperançosa, respondeu:

- 'Desejo interromper esta gravidez e conto com a ajuda do senhor'.

O médico então pensou um pouco e depois do seu silêncio disse a mulher:

- 'Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora'.

A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido.

E então ele completou:

- 'Veja bem, minha senhora, para não ter de ficar com os dois bebês de um vez, em tão curto espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, o outro poderá nascer. Se o caso é matar, não há diferença para mim entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco.'

A mulher apavorou-se e disse:

- 'Não doutor! Que horror ! Matar uma criança é um crime!'.

O médico sorriu e, depois de algumas considerações, viu que a sua lição surtira efeito. Convenceu a mãe que não há menor diferença entre matar a criança que nasceu e matar uma ainda por nascer, mas já viva no seio materno.


O CRIME É EXATAMENTE O MESMO.


'Aborto é crime.'

Passe adiante esta idéia, quem sabe essa pequena história possa mudar o destino de muitas crianças.

Passando a Régua - Ed. n. 783

* Coluna publicada na edição nº 783 do Jornal Diário do Norte




"A morte de um homem começa no instante em que ele desiste de aprender".

Albino Teixeira
Parabéns
A Universidade Estadual de Goiás (UEG), criada em 16 de abril de 1999, com sua estrutura multicampi, representava a oportunidade de acesso à universidade para milhares de jovens de todas as partes do Estado. Presente em 52 municípios, já formou mais de 70.000 pessoas em seus 132 cursos. Está cumprindo com o seu papel! Parabéns!
Curiosidade
16 de abril - Dia Nacional do Lions. Em 16 de abril de 1952 foi implantado o Leonismo no Brasil, com a fundação do Lions Clube do Rio de Janeiro, com 40 sócios.
Visitas
Primeiro o governador de Goiás, Alcides Rodrigues, que visitou Uruaçu no dia 17 de abril, mas a grande expectativa mesmo é para receber o melhor presidente da República de todos os tempos, Luiz Inácio Lula da Silva, com visita prevista para sexta-feira (24).
Concursos
Esse é o sonho de cerca de 10 milhões de brasileiros que, todo ano, concorrem a vagas municipais, estaduais ou federais, em busca de estabilidade e de um salário atrativo. A procura por materiais didáticos e cursinhos agita o segmento, que cresce 40% ao ano desde 2005. O mercado dos concursos públicos fatura R$ 5 bi para editoras, cursos preparatórios e bancas examinadoras. De acordo com a ANPAC, as 8 maiores organizadoras do país arrecadaram mais de R$ 326 mi com as 708 seleções realizadas entre 2005 e 2007. Na contramão da crise financeira, 47 mil vagas devem ser abertas a partir de abril em 2009. (Fonte: www.thetopestipes.com.br)
Avanço
A Proposta de Emenda à Constituição que eleva o patamar do orçamento da Cultura a pelo menos 2% das receitas de impostos do país, a PEC 150, avançou um passo importante no dia 31 de março, com a criação da Comissão Especial de Tramitação. A instalação de uma Comissão Especial implica que esta terá de dar parecer conclusivo à PEC em questão, o que elimina o tradicional trânsito entre as casas do Congresso. O piso recomendado pela Unesco para a Cultura é de 1% das receitas tributárias de um País.
Alternância
Conheça o cronograma para eleição para gestores escolares da Subsecretaria Regional de Educação de Uruaçu: 26 de março: publicação de edital da SEDUC convocando as eleições; 27 a 30 de março: constituição das comissões eleitorais estadual e regional; 7 de abril: nomeação das comissões eleitorais locais; oito de abril: convocação da eleição na unidade escolar; 13 a 23 de abril: período de inscrição das chapas; 24 de abril a 28 de maio: período de divulgação dos projetos de gestão das chapas inscritas; 29 de maio: eleição para diretor; e, três de agosto: posse dos candidatos eleitos.
_______________________________________________

Carlos Henrique Alves do Rêgo – Carzem, é sócio do Lions Clube de Uruaçu; Bel. em Ciências Contábeis pela UEG/Uruaçu; e, funcionário do Banco do Brasil, agência de Uruaçu

domingo, 19 de abril de 2009

Obsessão Sexual


Sexo faz bem para a saúde, 95% da humanidade gosta de praticar.


Ele faz bem tanto para a mente quanto para o corpo, pois alivia o estresse, alivia dores de cabeça, ativa a circulação sangüínea, deixa a pele mais viçosa, trabalha a musculatura pélvica, melhora a qualidade do sono. Porém, se o desejo sexual se torna compulsivo, ou seja, constante em um curto espaço de tempo, é considerado doença altamente depressiva que tende a comprometer o indivíduo no trabalho, na vida familiar, social e afetiva.


O obsessivo sexual apresenta, espontaneamente, um nível alto de desejo e de fantasias sexuais, não tem controle dos seus impulsos e sentimentos. Passa a ter uma preocupação exagerada, tanto que seus sentimentos e pensamentos sexuais acabam prejudicando seus relacionamentos afetivos e suas atividades diárias. Normalmente não apresenta disfunções sexuais, porém passa a ter uma grande rotatividade de parceiros o que pode prejudicar sua saúde em relação à infecção por algumas doenças sexualmente transmissíveis.


A erotomania e a ninfomania são termos que indicam um exagero do desejo sexual. Pode-se observar níveis diferentes de adição ao sexo, desde masturbação compulsiva e prostituição, a alguns comportamentos perversos como exibicionismo, voyeurismo ou mesmo pedofilia (abuso sexual de crianças) e estupro.


O desejo Sexual obssessivo pode se originar de diferentes causas. Por vezes, é visto como um problema de adição e dependência ao sexo, similar às drogas como cocaína, álcool ou heroína. Pode ser encarado como um problema de comportamento mal adaptado, onde o ato repetitivo de busca de prazer sexual foi aprendido ao longo da vida como tranqüilizante, diminuindo sentimentos de ansiedade, medo e solidão.


O tratamento dessa síndrome é feito normalmente com análises psiquiátricas ou terapia sexual, dependendo do grau da obsessão se faz necessário o uso de remédios como, por exemplo, inibidores da Recaptação da Serotonina. Para que o tratamento psiquiátrico funcione a pessoa precisa ter consciência de que está doente, pois o viciado em sexo é similar ao viciado em drogas, o que muda é o vício.


Em casos mais graves, onde a compulsão coloca outras pessoas também em risco (como abuso sexual ou estupro), pode-se fazer uso de algumas medicações a base de hormônios (progesterona) que inibam o desejo sexual.


Em alguns casos, a internação do paciente se faz necessária para contenção de riscos.


Índio

Todo dia era dia de índio
"Antes que o homem aqui chegasse
Às Terras Brasileiras
Eram habitadas e amadas
Por mais de 3 milhões de índios
Proprietários felizes
Da Terra Brasilis".
Jorge Benjor
Todo dia era dia de índio.
Hoje ele só tem o dia 19 de abril.

sábado, 18 de abril de 2009

A Beleza da Matemática

Por e-mail

1 x 8 + 1 = 9
12 x 8 + 2 = 98
123 x 8 + 3 = 987
1234 x 8 + 4 = 9876
12345 x 8 + 5 = 98765
123456 x 8 + 6 = 987654
1234567 x 8 + 7 = 9876543
12345678 x 8 + 8 = 98765432
123456789 x 8 + 9 = 987654321

1 x 9 + 2 = 11
12 x 9 + 3 = 111
123 x 9 + 4 = 1111
1234 x 9 + 5 = 11111
12345 x 9 + 6 = 111111
123456 x 9 + 7 = 1111111
1234567 x 9 + 8 = 11111111
12345678 x 9 + 9 = 111111111
123456789 x 9 +10= 1111111111

9 x 9 + 7 = 88
98 x 9 + 6 = 888
987 x 9 + 5 = 8888
9876 x 9 + 4 = 88888
98765 x 9 + 3 = 888888
987654 x 9 + 2 = 8888888
9876543 x 9 + 1 = 88888888
98765432 x 9 + 0 = 888888888

Brilhante, não?

E veja esta simetria:

1 x 1 = 1
11 x 11 = 121
111 x 111 = 12321
1111 x 1111 = 1234321
11111 x 11111 = 123454321
111111 x 111111 = 12345654321
1111111 x 1111111 = 1234567654321
11111111 x 11111111 = 123456787654321
111111111 x 111111111 = 12345678987654321

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Site da Prefeitura Municipal de Uruaçu

.
.
O Site da Prefeitura Municipal de Uruaçu
.
.
.
.
atualizado para a administração do
.
.
PREFEITO LOURENCINHO
.
.
eleito pelo PP para administrar o
.
.
Município no mandato 2009-2012
.
.
já está on-line.
.
.
* * * * * - * * * * *
.
.
Contatos de interesse público:
.
.
.
.
(62) 3357-4864 / 8480-7130
.
.
Visite Uruaçu / o Lago de Serra da Mesa
.
.

Brasil, um país movido a luxo

Brasil faz parte dos dez maiores consumidores de produtos sofisticados. O mercado cresce 45% ao ano.
Redação Web Luxo

.

Se você comprou uma Ferrari, um helicóptero ou jatinho particular; se costuma desfilar com roupas Armani e acessórios Louis Vuitton; se assina com canetas Montblanc e usa relógios Cartier, parabéns! Você faz parte de um seleto grupo de 4 milhões de brasileiros que consomem artigos de luxo no Brasil. Este mercado, embora seja formado por apenas 3% da população, tem crescido até 45% ao ano, segundo as grifes.

.

Provas disso são o movimento nas principais revendas de carros importados no País e a pujança de ruas como o Oscar Freire, em São Paulo, capital latino-americana das grifes de luxo, e Garcia D'Ávila, no Rio de Janeiro. Nestes pontos, pode se gastar milhares de reais por metro quadrado em produtos que vão de canetas cravejadas de brilhantes e automóveis sob encomenda.

.

.

Abrir uma loja nos sofisticados endereços de São Paulo e do Rio requer, além de paciência para conseguir o ponto, investimento inicial de cerca de US$ 2,3 milhões. Mas e daí? Isto é troco para quem está acostumado a lidar com uma clientela cujo poder de compra é ilimitado. O Brasil, acredite, está entre os dez maiores mercados do mundo em artigos de luxo. Na América, só perde para os Estados Unidos, que têm renda per capita superior à nossa.

.

As franquias brasileiras do estilista Giorgio Armani são um ótimo espelho do potencial nacional. As unidades paulista da Vila Romana, venderam mas do que as de Nova York em dezembro do ano passado. Por isso, a Empório Armani tem a segunda maior loja do mundo, atrás da nova-iorquina localizada na Madison Avenue. Mas as lojas paulistas, as únicas do estilista na América Latina, só conseguiram se firmar com a abertura às exportações, no início dos anos 90, e com a estabilização da economia, em meados da década.

.

.

Quem tentou iniciar suas atividades há mais de treze anos enfrentou muitas dificuldades para importar ou apelou para a fabricação local, o que acabou diminuindo o prestígio da marca. Havia um mercado potencial enorme. Tanto que, nove anos depois de aberta a primeira loja Montblanc no Brasil, ela passou a ser a quinta colocada em vendas. E o País foi campeão no número de encomendas das canetas brilhantes, que custam US$ 120 mil.

.

As pessoas que estão no topo da pirâmide social consomem artigos caros para se distinguir dos demais. Quando o produto invade outras classes, elas partem para outro artigo ou mudam de marca. A ostentação é uma forma de mostrar poder - tradição herdada dos príncipes renascentistas italianos.

.

O mais curioso é que este tipo de comportamento, no Brasil, independe da renda. Às vezes as pessoas deixam de comprar uma geladeira para ter uma televisão ou gastam o salário em roupas. É o mesmo sintoma, em grau reduzido, dos novos ricos, que não podem ter um iate, mas compram uma Montblanc para fazer parte deste mercado. No caso dos muito ricos, faixa que representa 2% da população brasileira - responsável por 20% da renda gerada no País, o consumo refinado extrapola o modismo ou a ostentação.

.

.

Assemelha-se mais a um padrão de vida cultivado durante gerações. O Brasil é um dos países mais consumistas e segue claramente o estilo americano. Outro exemplo de prestígio no País é a marca Louis Vuitton. Hoje, as vendas de canetas e lenços de seda Louis Vuitton no País estão entre as cinco maiores do mundo. O leque de produtos, a cada ano, vem aumentando.

.

A receita das grifes raramente é divulgada, mas elas não têm do que reclamar. A Ferrari por exemplo, confirma o Brasil como o 9° maior mercado da empresa. Uma outra empresa automotiva desembarcou recentemente no país, o superesportivo Pagani Zonda F, que foi apresentado em São Paulo como o carro mais caro do mercado nacional, ao preço de R$ 4 milhões, confirmando a alta no mercado de luxo a clientes em ponteciais.

.

.

Quando o assunto é transporte, no entanto, quem ri à toa são os importadores de helicópteros. Num mercado que movimentou quase US$ 130 milhões no ano passado, cerca de 30% foram para o mercado de luxo. O restante foi comprado por empresas de taxi aéreo, escolas de pilotagem e utilitários.

.

Certamente, quem voa para se deslocar também compra as melhores roupas, os melhores acessórios e as melhores bebidas. O brasileiro é um consumidor muito requintado e exigente.

.

Fonte: Site Web Luxo

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Catolicismo

Encontro em Itaici reunirá mais de 300 bispos





A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) inicia, na próxima quarta-feira, 22, sua 47ª Assembleia Geral, em Itaici, município de Indaiatuba (SP). Já confirmaram presença 326 bispos, dos quais 33 são eméritos.

O Brasil possui 447 bispos, dos quais 147 são eméritos (bispos que já deixaram a administração de suas dioceses). Há ainda seis dioceses sem bispos, conduzidas por administradores diocesanos que participarão da Assembleia com direito a voto.

Na assembleia deste ano, os bispos vão discutir, como tema central, a formação dos futuros padres. Uma Comissão de bispos está fazendo a revisão do Documento 55 da CNBB, Diretrizes Básicas da Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil, em vigor desde 1994. O novo texto será estudado e aprovado pela Assembleia e, em seguida, encaminhado à Congregação para a Educação Católica, em Roma, para aprovação final.

Os dez dias da Assembleia exigem uma grande estrutura por parte da CNBB. Um grupo de cem pessoas se divide em várias equipes de serviços para assegurar o êxito do encontro dos bispos. Da CNBB integram o grupo 36 assessores, 17 secretários dos regionais, 17 representantes dos organismos da CNBB e 19 funcionários, além de 11 voluntários. Há, pelo menos, 17 convidados que também participarão da Assembleia. Entre bispos e equipes de serviço, o encontro envolverá cerca de 450 pessoas.

Fonte: Site da Diocese de Uruaçu

UEG: 10 anos de história



O ano era 1999, o dia 16 e o mês abril. Começava aí uma nova realidade para o ensino superior no Estado. A criação da Universidade Estadual de Goiás, com sua estrutura multicampi, representava a oportunidade de acesso à universidade para milhares de jovens de todas as partes de Goiás. Grande parte deles - principalmente os de famílias com renda de até três salários mínimos, que somam cerca de 75% do total -, sabem bem o que significa ter uma Unidade da UEG na sua região.

A UEG nasceu com o propósito de democratizar o ensino superior e ajudar a mudar o quadro da falta de qualificação dos professores das redes estadual, municipais e particular de ensino. Na época, 98% dos professores goianos não possuíam curso superior. O Programa Universidade para os Trabalhadores da Educação mudou essa realidade e formou quase 30 mil professores. Atualmente, só 2% estão nessa condição.

Mesmo sendo uma instituição de ensino superior, a UEG não se descuidou da base e criou o Programa Vaga-Lume de Alfabetização, que se transformou num marco para milhares de jovens e adultos e reduziu consideravelmente o analfabetismo em Goiás, que era muito alto. O ensino, a pesquisa e a extensão foram vivenciados na UEG de forma intensa nos últimos 10 anos.

Números

Em uma década, a UEG formou 36.010 alunos nos cursos de graduação regular, 28.027 na Licenciatura Plena Parcelada (Formação de Professores) e 8.879 nos cursos sequenciais. Atualmente, a Universidade Estadual de Goiás está presente em 52 municípios, com 41 unidades universitárias, 12 pólos e três extensões. São oferecidos 132 cursos (78 de licenciatura, 33 de bacharelado e 21 tecnológicos).

Até dezembro de 2008, de acordo com a Coordenação de Planejamento, estavam matriculados nos cursos de Graduação da Universidade 18.795 alunos, sendo 11.284 na licenciatura, 5.656 no bacharelado e 1.855 tecnológico. A evolução no número de cursos de graduação ofertados na Universidade se deu de forma gradativa, começando em 50 cursos oferecidos em 1999 e chegando a 132 em 2009, com ênfase nas vocações regionais e atendendo às demandas apresentadas pela sociedade.

Na pós-graduação, são ofertados atualmente 32 cursos de especialização lato sensu e três stricto sensu, com 507 alunos matriculados no lato sensu e 13 no stricto sensu. Na última década, foram matriculados 11.122 estudantes na especialização lato sensu e 217 no stricto sensu. O número de cursos de especialização aumentou à medida que os estudantes concluíam a graduação. A oferta de cursos lato sensu saltou de cinco em 1999 para 32 neste ano.

Na última década, somando a graduação regular, a LPP, os cursos sequenciais e a pós-graduação (lato e stricto sensu), a Universidade Estadual de Goiás formou quase 85 mil pessoas. Esses números mostram que, mesmo com as dificuldades naturais enfrentadas por uma universidade jovem, a UEG caminha para sua consolidação e representa um avanço no acesso ao ensino superior no Estado de Goiás.

Para o reitor Luiz Antônio Arantes, a UEG cresceu horizontalmente nos últimos anos, mas agora é fundamental que ela cresça verticalmente. “Nosso desafio de agora em diante é instrumentalizar a Universidade para que ela tenha uma melhor infraestrutura de laboratórios e de bibliotecas e cresça com qualidade”. O reitor ressalta que todos os esforços estão sendo feitos nesse sentido. “Conquistamos a regularidade fiscal, com o pagamento da dívida com o INSS, e os reflexos já começaram. Estamos no processo final de liberação de recursos na ordem de R$ 3 milhões provenientes de emendas parlamentares, que serão investidos para equipar e modernizar laboratórios e bibliotecas da UEG”, destacou. Segundo Luiz Arantes, a UEG representa um salto para o desenvolvimento do Estado. “A presença da Universidade em todas as regiões mudou o cenário goiano. A UEG entendeu as necessidades do mercado com a oferta de cursos voltados às vocações regionais”.

(Dirceu Pinheiro)




quarta-feira, 15 de abril de 2009

Linguagem natural?


Por: Ivandro J
Vou transcrever a notícia, rigorosamente como ela se apresenta agora diante dos meus olhos e publicada por um jornal de São Paulo. Depois me diga, leitora, leitor, se não é de sair correndo e pedir socorro. A notícia tem por título: Linguagem. E logo de início, lê-se:

"O jornalismo da TV Globo promove renovação. Terá uma linguagem mais natural..." Chega, não é preciso dizer mais nada. Sabes o que isso significa? Significa que com a atual linguagem mais da metade da audiência, metade do Brasil, não entende o que ouve. Diante disso, para não perder telespectadores, a Globo vai deixar mais "natural" a sua linguagem. Santo Deus, não façam isso. Se o telespectador não entende que procure entender, que leia mais, que consulte dicionários, que busque sair do atoleiro da ignorância e procure crescer. Que horror essa proposta. Claro, do ponto de vista comercial, não há reparos, é isso mesmo, se a audiência não tem "dentes" para comer bananas, que se lhe dê a banana em forma de papinha... A linguagem hoje tem que ser chula, vulgar, rasteira, natural... é isso? Qualquer dia nossos jornais estarão publicando notícias na linguagem do "internês", essa lata de lixo produzida por cabeças mais que ocas... Andamos para trás. Bom teatro na tevê, nada. Boa música na tevê, nada. Bons programas na tevê, nada. Sirigaitas quase peladas, sempre. Bermudões analfabetos, ah, cada vez mais. Programas de relacionamentos? Baita audiência, sempre. Culinária, argh, também cada vez mais. E assim por diante. Tudo em linguagem simples, natural, que é para os apoucados do entendimento entenderem. E também cada vez mais "religiosos" dizendo asneiras em horários nobres e saqueando a bolsa dos otários, para isso há muito espaço, sobra espaço. Horriza-me a proposta da Globo de tornar mais natural a sua linguagem de telejornalismo. Insisto que do ponto de vista comercial, entendo. Meu reparo fica por conta do empobrecimento cada vez maior dos bons modos, da boa educação, dos bons programas, de tudo, enfim, que pode tirar do atraso as legiões que estão no atoleiro da ignorância. Devo dizer que deixo a porta aberta para que eu venha a morder a língua, e que a tal linguagem "natural" seja alguma grande descoberta na comunicação televisiva, coisa que até agora desconheço. Não sendo assim, não me vou admirar se um dia os apresentadores das notícias forem os rapazes e as moças do BBB, com a linguagem "natural" deles. Aí o Brasil analfabeto entenderá, e mais não será preciso.

Fonte: Blog Incógnito

Meu comentário:

É, caro Ivandro, e o povo brasileiro ainda aplaude! Esperar o que de um país que apresentador de programa de auditório e jogador de futebol - com todo respeito que eles nem merecem! - recebem mais que um juiz de direito ou o Presidente da República - legalmente falando? Fico profundamente triste com o que acabo de ler. A maior emissora do país... que há tempos já decepciona pelo nível de programas que exibe, agora vai escancarar de vez, perder a compostura, nivelar pelo mais baixo que possa existir na escrita/fala dos jornais por ela editados/levados ao ar. Cadê o compromisso social com o Brasil? Ah! Mais o povo gosta... o povo é assim... Gosta nada, é assim nada... Educação, moral, ética... tudo pode e deve ser aprendido. Mas a gana por lucros fala mais alto, mais uma vez. Como sempre! E danem-se nós. Como você, Ivandro, também torço para 'morder na língua'... O pior - pelo menos para nós dois e mais o André Luís Leite e o FRX - é que pela a experiência a gente sabe que isso é [quase] impossível de acontecer... 'Sambarilove'!

Carzem

terça-feira, 14 de abril de 2009

De que é feito o lápis?

A fabricação do lápis é simples: consiste em colocar a grafite dentro de tábuas de madeira. Mas nem sempre foi assim. Apesar de a humanidade usar ferramentas de escrita desde os primórdios, a grafite só foi descoberta no século 16, na Inglaterra - os ingleses confundiram o material com chumbo, engano desfeito no fim do século 18. Nos primeiros lápis, pedaços de grafite eram enrolados em cordas ou pele de animais para facilitar o manuseio. Mais tarde, alemães começaram a usar pedaços de madeira para cobrir a grafite. O apetrecho foi evoluindo até ganhar uma borracha na ponta em 1858, invenção do americano Hyman Lipman. A idéia, bastante simples, acontece na última etapa da produção: uma das extremidades é afinada, recebe uma cinta de metal para segurar a borracha, que é então colada e prensada. Depois, é só escrever: um só lápis é capaz de anotar 45 mil palavras ou riscar uma linha de 56 quilômetros de comprimento!

Fonte: 99% UOL Blog