quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Inconformado com o mundo

Imagine que eu lhe dê o poder de melhorar o mundo. Sim, isso mesmo! Você poderia mandar asfaltar aquela rua esburacada, construir aquela ponte necessária, aparelhar aquele hospital em situação precária, sanear o esgoto que corre a céu aberto, promover a geração de empregos em localidades pobres, fazer escolas boas para melhorar o ensino e colocar o país na vanguarda da tecnologia, proteger o meio-ambiente da degradação, os animais do sofrimento desnecessário, enfim, melhorar a vida de todos.

E eu diria mais! Você seria PAGO para fazer isso! É verdade! E eu diria mais! Você seria BEM PAGO para fazer isso. E eu diria ainda mais: você nem precisaria trabalhar todos os dias da semana. Enfim, você seria pago e receberia todas as mordomias que quisesse para melhorar o país.

Pois esta me parece uma oferta irrecusável. Seria a realização dos meus sonhos! Mas eis que aqueles que têm acesso a este maravilhoso sonho, simplesmente jogam a oportunidade de ouro no lixo. Com uma ganância em ganhar mais do que se pode gastar, os políticos desviam o dinheiro para seus bolsos. Com uma sede de poder insaciável para obter cada vez mais prestígio e influência apenas para ter mais e mais prestígio e influência (sem que isso se reverta em nada de bom para ninguém), os políticos se preocupam apenas em fazer politicagem.

Nossos políticos, vereadores, prefeitos, deputados estaduais e federais, senadores, ministros, secretários, juízes, presidentes e demais servidores públicos simplesmente se esqueceram de sua missão invejável de poder ajudar milhares, às vezes milhões, com simples canetadas em pedaços de papéis. Muitos deuses teriam inveja deste poder que as leis dão a certas figuras políticas. Mas eles desperdiçam. E eu não me conformo, simplesmente não me conformo. É mais do que apenas a questão ética e moral da coisa toda. Eu não me conformo em ver uma pessoa com todo o poder para mudar o mundo simplesmente deixando de fazê-lo.

E não me venham com a velha ladainha de que o poder ou dinheiro corrompem. Isso é para os fracos. Os delegados da PF que recusaram mais de R$ 1 milhão de um certo banqueiro ou o juiz que abriu mão de uma promoção para se manter na linha de combate à corrupção (e ainda sofrendo ameaças por fazer seu trabalho) são bons exemplos disso. E o que eu faço para mudar? A primeira coisa, é não me conformar... me incomodar. A segunda é cobrar de quem está lá (e isso começará a aparecer aqui neste blog) e a terceira é estar lá, com o poder nas MINHAS mãos para fazer as coisas realmente acontecerem.

Até lá, o caminho é longo e espero não precisar percorrê-lo para que as coisas melhorem. E espero conseguir arregimentar mais insatisfeitos para cobrar aqueles que roubaram o meu (e talvez o seu) sonho e fazê-los cumprir com seu dever.
.

Um comentário:

Dilly ♥ disse...

Se nós não nos revoltarmos agora, a situação não vai mudar.
Grande reflexão.
Assinatura de uma grande indignada que te segue faz um bom tempo...
Dilly